Esquerda News
Capa

Porque devemos defender o FUNDEB?

 

 

 

 

 


Por Rafael Moraes, Minas Gerais

Sabemos que a situação da educação básica é muito precária, da falta de estrutura à desvalorização da professora e do professor, não faltam problemas e dificuldades  em nossas escolas. No entanto, sem o FUNDEB essa situação pode ficar muito mais Grave.

O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) atende toda a educação básica, da creche ao ensino médio. Substituto do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), que vigorou de 1997 a 2006, o Fundeb está em vigor desde janeiro de 2007 e se estenderá até 2020.

Uma das principais funções do FUNDEB é garantir que todos estudantes brasileiros recebam, pelo menos, o investimento MÍNIMO por aluno(a). E isto acontece porque vários estados do Brasil não garantem nem isso, o que por si só já nos mostra como a educação é deixada de lado.

O fundo é tão crucial que, de acordo com João Marcelo Borges, diretor de Estratégia Política do Todos Pela Educação, de cada R$10 investidos na educação, R$6 vem do FUNDEB. Só em 2019, dos R$ 248 bilhões aplicados nas escolas públicas do país, R$ 156 bilhões (65% do total) saíram do Fundeb. Além disso, o fundo também é um regulador das desigualdades entre os municípios, pois o investimento é proporcional às dificuldades financeiras de cada local, isso contribui para diminuir a desigualdade de verbas entre municípios mais e menos desenvolvidos. Por exemplo, se não houvesse o fundo, o investimento para cada estudante maranhense seria de apenas R$ 1,7 mil (R$ 141 por mês), quando o valor mínimo é de R$3.240.

Outro ponto que devemos considerar, diz respeito ao pagamento do salário dos profissionais da educação. Atualmente, em vários estados brasileiros os professores e professoras têm seus salários parcelados, atrasados ou nem pagos (como é o caso de Minas Gerais, que boa parte dos profissionais não recebeu o 13° salário referente ao ano de 2019). Porém, mesmo com esta situação de desrespeito às trabalhadoras da educação, pelo menos 60% dos recursos do Fundeb devem ser usados na remuneração de professores, diretores e orientadores educacionais. É claro que não podemos acreditar nesse discurso de que o não pagamento ou a falta de investimento é uma questão financeira. Sabemos que este cenário faz parte de um projeto político dos ricos e poderosos, para acabar com os nossos direitos. Mas devemos considerar que a falta deste fundo irá fortalecer o discurso neoliberal contra a educação.

Qual motivo de falar do FUNDEB?

O fundo foi instituído em 2006 e regulamentado em 2007, o atual Fundeb tem prazo de validade: ele vence em 31 de dezembro deste ano. Ou seja, ele precisa ser, pelo menos, renovado ou ter seus valores de repasse aumentados. E se torna tão importante para a juventude, debater este tema, pois estamos vivendo sob o governo do Fascismo, em que o poder e as prioridades estão totalmente voltadas aos mais ricos do país e do estrangeiro. Sabemos que o Governo Bolsonaro, seus ministros e militares são contra a classe trabalhadora, contra a juventude e nossos direitos.

Por isso, não podemos subestimar qualquer atitude deste governo, que seja contrária aos interesses da maioria. Logo, é nosso dever e responsabilidade assumir a defesa do FUNDEB, não só dele, mas de toda educação. Mas para que isso aconteça, devemos denunciar isto nas passagens em sala, reuniões de grêmio, manifestações e fazer frente ao Governo do Caos instalado na presidência. Essa é nossa tarefa. Pela permanência e aumento dos repasses do FUNDEB. Fora Bolsonaro! Por um Poder Popular!

Print Friendly, PDF & Email

Fonte blog A Verdade

Relacionados

MLB realiza ato na Câmera Municipal de São Bernardo contra política de despejo

Ramos

Petroleiros seguem em greve contra venda da Petrobrás

Ramos

Carnaval na Saúde de Campina Grande

Ramos