Nem perd√£o, nem esquecimento

Nem perd√£o, nem esquecimento
Ver no Brasil Popular

Não se pode normalizar a barbárie, e, para isso, é preciso garantir justiça. Anistia, não!

 

A trajet√≥ria de Bolsonaro no poder foi marcada pelo flerte constante com uma ruptura autorit√°ria. √Č dentro desse contexto que as recentes manifesta√ß√Ķes golpistas, que contestam o resultado das elei√ß√Ķes, encontraram terreno f√©rtil para seguir existindo.

 

O pr√≥prio sil√™ncio de Bolsonaro sobre a derrota eleitoral ‚Äď que constitui em um ato de covardia de quem n√£o sabe perder ‚Äď serviu de sinal verde para uma minoria extremista bloquear rodovias e ocupar as ruas para exigir interven√ß√£o militar e anula√ß√£o do pleito.

 

A baderna golpista, embora resiliente, n√£o coloca em risco a posse de Lula, que j√° foi reconhecida nacional e internacionalmente, mas √© um sinal de que seguiremos enfrentando essa extrema direita autorit√°ria. Longe de ser um processo espont√Ęneo, j√° foi revelada a exist√™ncia de uma rede empresarial de financiamento dos lockouts e dos acampamentos. √Č preciso seguir o fio do dinheiro de quem banca o autoritarismo no Brasil e seus tent√°culos e o Gabinete do √ďdio.

 

Tamb√©m √© preciso deixar claro: os atos golpistas n√£o encontram respaldo na Constitui√ß√£o de 1988 e tampouco podem ser comparados com manifesta√ß√Ķes populares ou com a luta pol√≠tica para ampliar as liberdades democr√°ticas e os direitos sociais. N√£o podemos permitir que uma rede organizada de autorit√°rios siga atuando, pois, primeiro, atacam as liberdades democr√°ticas e pedem o fechamento das institui√ß√Ķes, que serviram de contrapeso ao defender os princ√≠pios da Constitui√ß√£o, para, depois, inviabilizar a auto-organiza√ß√£o dos trabalhadores, da juventude e dos movimentos sociais.

 

Diante disso, o PSOL j√° pediu ao STF que investigue quem est√° por tr√°s da arquitetura de financiamento e de apoio log√≠stico que d√° sustenta√ß√£o aos atos. Em sua maioria, est√£o empres√°rios do agroneg√≥cio, fazendeiros e donos de estandes de tiro. Ou seja, base de apoio de Bolsonaro. √Č preciso quebrar o sigilo banc√°rio e telef√īnico desses empres√°rios para responsabiliz√°-los criminalmente ‚Äď juntamente com os agentes das mil√≠cias digitais antidemocr√°ticas, que atrav√©s da dissemina√ß√£o de fake news, tamb√©m atuam para incitar os atos.

 

N√£o se pode normalizar a barb√°rie, e, para isso, √© preciso garantir justi√ßa. O Brasil precisa lutar por investiga√ß√£o e puni√ß√£o para Bolsonaro e os criminosos em rela√ß√£o aos crimes cometidos contra a vida, a sa√ļde p√ļblica e nas rela√ß√Ķes com as mil√≠cias. Nem perd√£o, nem esquecimento. Anistia, n√£o!

 

(*) Por Fernanda Melchionna é deputada federal (PSOL-RS)




Deixe seu coment√°rio

Esquerda  News Gostar√≠amos de mostrar notifica√ß√Ķes para as √ļltimas not√≠cias e atualiza√ß√Ķes.
Dismiss
Allow Notifications