Movimento Rio Grande Contra a Fome lança etapa tendo Natal como referência

Movimento Rio Grande Contra a Fome lança etapa tendo Natal como referência
Ver no Brasil Popular

Campanha de arrecadação de alimentos é uma iniciativa da Assembleia Legislativa gaúcha em conjunto com demais poderes e instituições públicas do RS

 

Desde o início da campanha já foram arrecadadas mais de 200 toneladas de alimentos que são encaminhados à Defesa Civil do Estado

 

O Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa foi palco para o lançamento, nesta quarta (30), da segunda etapa do Movimento Rio Grande Contra a Fome, força-tarefa capitaneada pelo Parlamento estadual em conjunto com demais poderes gaúchos e instituições públicas do RS, e que atua de forma emergencial no combate à insegurança alimentar. Tendo o período natalino e das festas de final de ano como mote, a nova fase inclui uma campanha publicitária, intitulada “Natal Solidário”, e a adesão de dezesseis novos parceiros – maioria presentes no ato -, entre eles a Câmara de Vereadores do município missioneiro de São Luiz Gonzaga, entidades de classe como as associações de Juízes do RS,  Riograndense de Imprensa, a de Emissoras de Rádio e TV e a dos Diários do Interior, além de instituições como o Tribunal de Justiça Militar, Fundação Theatro São Pedro, Sindicato dos Jornalistas e Ação da Cidadania.

 

 

“Reforço que o Movimento, que vem crescendo, sendo acolhido pela sociedade gaúcha, segue aberto para receber mais adesões”, afirmou o presidente da Assembleia, deputado Valdeci Oliveira (PT). De acordo com ele, desde o lançamento do Movimento, em junho, já foram arrecadadas mais de 200 toneladas de alimentos nas diversas atividades organizadas desde então. Todo alimento arrecadado está sendo repassado à Defesa Civil Estadual.

 

 

O chefe do Parlamento anunciou ainda que os poderes e instituições engajadas na ação assinaram um novo termo de cooperação autorizando seus membros a destinarem recursos para a aquisição de cestas básicas. “Esta Casa também está fazendo todos os trâmites internos necessários para que um aporte financeiro para a força-tarefa seja concretizado. Fico na presidência da Assembleia até 31 de janeiro, mas vou ponderar junto aquele ou aquela que vier a ocupar a chefia do Legislativo gaúcho para que o Movimento continue enquanto for necessário. Doar um ou dois quilos de comida pode até ser pequeno para quem tem, mas é grandioso para quem a falta de alimento é uma realidade constante, para quem não tem o que comer. O que procuramos fazer aqui, essa verdadeira rede de solidariedade formada por tantos, da iniciativa privada e órgãos públicos das mais diferentes áreas, é algo extraordinário. Mais que a política, dos projetos, dos discursos, nada é mais importante que o ser humano”, avaliou Valdeci. Emocionado, o deputado disse ainda que muitas vezes chega a ser difícil falar sobre o tema, pois vivenciou na infância, apesar do empenho de seus pais, dias em que tinham acesso apenas a água com açúcar. “Este é um momento de solidariedade e de esperança, de possibilidade de acreditar numa sociedade que de fato tenha a compreensão de que existem muitas pessoas passando por grandes necessidades. Nós, que não temos a preocupação se amanhã teremos ou não alimentação, talvez não tenhamos a dimensão do que isso significa”, avaliou.

 

 

Presente ao ato, o governador Ranolfo Vieira Júnior destacou que a fome é um problema mundial que o país e o estado fazem parte desse cenário. “Embora esse trabalho (Movimento Rio Grande Contra a Fome) tenha tido a adesão do executivo e demais poderes e instituições com autonomia administrativa e financeira, quero louvar a iniciativa da Casa do povo gaúcho, na pessoa do presidente Valdeci. Efetivamente foi do senhor essa iniciativa”, afirmou o governador, frisando que o trabalho que vem sendo desenvolvido salienta e demonstra a importância da solidariedade da sociedade gaúcha. “É uma alegria e uma satisfação muito grande encerrar o mês de novembro com uma agenda extremamente positiva como essa”, assegurou Ranolfo, diante da informação que naquele momento estavam chegando mais três toneladas de doações à força-tarefa.

 

 O governador Ranolfo Vieira Júnior, entre outras autoridades, também participaram do lançamento da campanha
O governador Ranolfo Vieira Júnior, entre outras autoridades, também participaram do lançamento da campanha

 

“Quero trazer aqui a minha solidariedade. Estamos todos juntos, vamos continuar e isso tem de ser uma meta do futuro presidente desta Casa. Nós que estamos nas chefias de poder e de órgãos de estado temos muito mais condições de fazer um apelo ao empresário, ao cidadão para que façam doações. Como presidente do Tribunal de Contas ando pelo país e vejo que nem todos os estados têm a harmonia que temos aqui no RS. E vamos continuar nessa harmonia pelo bem do Rio Grande, que é o mais importante”, discursou Alexandre Postal, do TCE. “Aproveito para agradecer a todos aqueles que lançaram a sua adesão, contribuição e valorosa participação a essa campanha de tanta envergadura. Nós aderimos de pronto, e não poderia ser diferente, pois fome, fragilidade e insuficiência alimentar, todo o sofrimento que isso causa, sensibiliza todos nós”, afirmou a desembargadora e presidente do Tribunal de Justiça, Íris Helena Nogueira, parabenizando Valdeci pela iniciativa e destacando o compromisso do TJ com a causa ao destinar R$ 20 milhões do orçamento da instituição para a aquisição de cestas básicas, cujo processo de licitação feito pelo governo estadual está em fase de conclusão.

 

 

“Certamente conseguimos dar um passo importante dentro dos poderes, de pensar sobre essa temática de forma constante, concreta. Essa é uma agenda que somente sairá da pauta no dia em que de fato conseguirmos colocar a cabeça no travesseiro e saber que ninguém está indo dormir com fome. Trata-se de uma grande tarefa que assumimos coletivamente no comitê-gestor do Movimento”, afirmou Paola Carvalho, coordenadora-executiva do colegiado.

 

 

A cerimônia contou ainda com a apresentação do cantor e compositor Antônio Gringo e presença de representantes da Defensoria Pública, Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça, Ministério Público, movimentos sociais vinculados à segurança alimentar, entidades sindicais, entre diversas outras agremiações da sociedade civil.

 

 

(*) Com informações Agência ALRS. Fotos: Joaquim Moura e Christiano Ercolani

 




Deixe seu comentário

Esquerda  News Gostaríamos de mostrar notificações para as últimas notícias e atualizações.
Fechar
Permitir Notificações