Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros

Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros
Ver no Amazônia Real

O presidente da República visitou o estado de Roraima para acompanhar a situação da saúde na terra indígena, na qual classificou como “desumana” (Foto: Ricardo Stuckert/PR).


Por Felipe Medeiros e Leanderson Lima, da Amazônia Real


De Boa Vista (RR) e Manaus (AM) – “O que eu posso dizer para você é que não vai existir mais garimpo ilegal e eu sei da dificuldade de tirar o garimpo ilegal. Eu sei que já se tentou outras vezes tirar e eles voltam, mas nós vamos tirar. Lamentavelmente, eu não posso dizer para você até quando, o que eu posso dizer é que nós vamos tirar”, disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), neste sábado (21), ao responder à pergunta da agência Amazônia Real em coletiva à imprensa, em Boa Vista (RR), sobre a principal reivindicação do líder Davi Yanomami, que é retirar os cerca de 30 mil garimpeiros do território. Lula foi à capital de Roraima para acompanhar as ações de saúde no estado, onde 99 crianças yanomami morreram de desnutrição extrema e malária.

Em entrevista exclusiva à Amazônia Real, Davi Yanomami disse que cobrou ao presidente Lula a promessa feita na campanha eleitoral de 2022, em que derrotou Jair Bolsonaro. “A morte das nossas crianças na terra Yanomami e os quatro anos de governo que ficou comandando [Bolsonaro], matou o meu povo, matou meus filhos na comunidade, ele só estragou a saúde”, acusou Davi Yanomami. 

Na coletiva, Lula disse que a situação dos yanomami é desumana. “Se alguém te contasse que aqui em Roraima tinha pessoas sendo tratadas de forma desumana, como eu vi o povo Yanomami ser tratado aqui, eu não acreditaria. Eu, por um acaso, tive acesso a umas fotos esta semana. As fotos, efetivamente, me abalaram, porque a gente não pode entender como um país que tem as condições que tem o Brasil deixa os nossos indígenas abandonados como eles estão aqui”. O presidente não informou se existe um plano do governo para a desintrusão, que é a retirada efetiva dos garimpeiros do território pelas forças de segurança. 

Lula chegou em Boa Vista acompanhado da primeira dama Janja Lula da Silva; do ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias; da ministra da Saúde, Nísia Trindade; da ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara; do ministro da Justiça e Segurança, Flávio Dino; de José Múcio, ministro da Defesa; de Silvio Almeida, dos Direitos Humanos; e da presidente da Fundação dos Povos Indígenas (Funai), Joênia Wapichana, entre outras autoridades. 

Para a surpresa dos eleitores bolsonaristas, o governador Antonio Denarium (PPS), que foi um dos principais responsáveis por inúmeras ações a favor da mineração ilegal no território indígena Yanomami, a maior do Brasil, também recebeu Lula durante a visita ao Estado.

Na entrevista, Davi explicou como é o quadro da saúde dos yanomami e quantas mortes -por diversas doenças, incluindo Covid-19 -, foram contabilizadas no ano de 2022: “O garimpo mata qualquer pessoa, qualquer animal, a vida do rio. São 577 crianças indígenas yanomami que morreram em quatro anos”, acusa.

Ainda na coletiva, Lula também acusou Bolsonaro pela calamidade na saúde indígena.  “Sinceramente o presidente que deixou a presidência [Bolsonaro] esses dias, se ao invés de fazer tanta motociata, tivesse vergonha e viesse aqui uma vez, quem sabe essas pessoas não estivessem tão abandonadas como estão”.

Davi Yanomami cobrou o posicionamento de Lula (Foto: Giovani Oliveira/Semuc)

A reportagem também ouviu o líder histórico dos garimpeiros, o minerador José Altino Machado. Sobre a eleição de Lula, ele afirmou: “É consenso para o pessoal do garimpo, o resultado das  eleições nós estamos respeitando, foi reconhecida a eleição dele, ele é o presidente da República”. Mas Machado criticou os números de mortes de crianças Yanomami apresentados pelo governo.

“Mas Lula, por favor e pela governabilidade nacional, não seja movido por  mentiras que tomam espaço na vida política do país. É um exagero dizer que 100 crianças yanomami morreram por desnutrição. Que morreram envenenadas por mercúrio mais de 500. É preciso provar, os garimpeiros que estão lá trabalham com cassiterita, não usam mercúrio”.

Na sexta-feira (20), o presidente Lula assinou um decreto de emergência em saúde pública na Terra Indígena Yanomami. O decreto, também assinado pelas ministras Sonia Guajajara e Nísia Trindade, institui o Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento à Desassistência Sanitária e prevê a criação de ações de enfrentamento à crise sanitária no território Yanomami, e aos problemas sociais e de saúde dela decorrentes, no prazo de 45 dias. 

A ministra Sonia Guajajara disse que a comitiva em Boa Vista foi para constatar a situação grave da saúde e tomar todas as medidas cabíveis. 

“Precisamos também responsabilizar a gestão anterior por ter permitido que essa situação se agravasse ao ponto de chegar aqui e a gente encontrar adultos com peso de crianças e crianças em situação de pele e osso”.

Repercussão entre ativistas

Lideranças indígenas e ativistas se manifestam antes da chegada do presidente Lula na Casai de Boa Vista (Foto: Felipe Medeiros/Amazônia Real)

A comitiva de Lula em Boa Vista levou lideranças indígenas, defensores dos direitos humanos e ativistas a realizar atos de protestos contra o garimpo. Eles estenderam faixas com as frases “fora garimpo” e “desintrusão já” pedindo uma solução para o conflito que se arrasta há décadas.

O artista plástico e ativista Bartô Macuxi afirmou que “os povos indígenas estavam precisando deste momento, porque não aguentavam mais esse desmando, esse genocídio em terra Yanomami, lama, mercúrio, violência e doenças”.

“Então, o que estávamos esperando era que o presidente Lula ganhasse as eleições primeiro, e depois uma resposta na Funai. Foi criado o Ministério dos Povos Indígenas que é importante para nós, e eu acho que agora tem tudo para acontecer um trabalho em conjunto, de repente com a Força Nacional, com o Exército, com a Polícia Federal para retirar os garimpeiros”, completou.

Evilene Paixão, ativista dos movimentos sociais, disse que a retomada das pautas do movimento indígena valoriza a vida dos povos. “Muitas crianças morreram no governo Bolsonaro. Ele [Lula] está vindo aqui, está retomando o Brasil, retomando as nossas pautas, as nossas lutas, e aqui em Roraima é prioridade a vida dos povos indígenas porque eles estão morrendo diariamente por conta do garimpo, invadido na época do governo Bolsonaro”. 

Situação de emergência

Atendimento aos Yanomami (Foto: Antonio Alvorado)

Equipes do Ministério da Saúde estão desde a última segunda-feira (16) no território indígena Yanomami, que conta com uma população estimada de 30,4 mil indígenas. As equipes encontraram crianças e idosos em estado grave de saúde. Além da desnutrição grave, os indígenas enfrentam problemas com malária,  infecção respiratória aguda (IRA) entre outros problemas de saúde. A missão deve continuar em Roraima até a próxima quarta-feira (25), para apresentar um levantamento completo sobre a situação crítica do povo Yanomami. O presidente Lula prometeu retornar ao estado em março deste ano para visitar a Terra Indígena Raposa Serra do Sol.

Ameaça de morte

Um dia antes de Lula visitar Roraima, na sexta-feira (20), a Polícia Federal de Roraima prendeu em flagrante um homem que o ameaçou de morte. Em uma rede social, o suspeito teria dito que era “a hora de colocar a bala na cabeça dele”, referindo-se a Lula. O preso foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça, conforme divulgou a assessoria da PF de Roraima.

Nas últimas eleições presidenciais, Boa Vista, em Roraima, saiu do pleito como a capital mais bolsonarista do Brasil. Ali, o ex-presidente Jair Bolsonaro recebeu 144.799 votos contra  37.412 votos para Lula, o que equivale ao percentual de  79,47% a 20,53%. (Colaborou Kátia Brasil)


A agência Amazônia Real acompanha. desde sua fundação, em 2013, a situação crítica dos povos Yanomami, tendo realizado inúmeras denúncias. Leia também:

Garimpo causa má formação e desnutrição em crianças Yanomami, denunciam lideranças indígenas

Mães e crianças Yanomami têm déficit de estatura intergeracional

Denúncia: 106 vacinas para Yanomami foram desviadas

Série especial: Ouro do Sangue Yanomami

“Nossos parentes estão descobertos, vazios”, diz Dário Yanomami sobre a ausência do Exército e da PF na aldeia atacada, em Roraima


  • Profissionais da saúde no atendimento aos Yanomami (Foto: Reprodução Instagram @Urihi
  • Profissionais da saúde no atendimento aos Yanomami (Foto: Reprodução Instagram @Urihi)
  • Profissionais da saúde no atendimento aos Yanomami (Foto: Reprodução Instagram @Urihi)
  • Profissionais da saúde no atendimento aos Yanomami (Foto: Reprodução Instagram @Urihi)
  • Profissionais da saúde no atendimento aos Yanomami (Foto: Reprodução Instagram)i
  • População foi até a Casai (Foto: Assembleia de Roraima)
  • População indígena foi até a Casai (Foto: Assembleia de Roraima)
  • População foi até a Casai (Foto: Assembleia de Roraima)
  • Lula visita a Casai em Boa Vista e encontra os Yanomami (Foto Giovani Oliveira/SEMUC)
  • Manifestantes aguardam a chegada do presidente Lula na Casai de Boa Vista (Foto: Felipe Medeiros/Amazônia Real)
  • Lula visita a Casai em Boa Vista e encontra os Yanomami (Foto Giovani Oliveira/SEMUC)
  • Chegada de Lula na Casai (Foto: Assembleia de Roraima)
  • Lula chega na Casai (Foto: Assembleia de Roraima)
  • Presidente Lula com o Presidente do CIR , Edinho Macuxi (Foto: Ricardo Stuckert/PR)
  • Lula com os indígenas em Boa Vista (Foto: Ricardo Stuckert/PR)
  • Lula com os indígenas em Boa Vista (Foto: Ricardo Stuckert/PR)
  • Lula visita a Casai em Boa Vista e encontra os Yanomami (Foto Giovani Oliveira/SEMUC)
  • Lula com a ministra da Saúde ,Nísia Trindade (Foto: Assembleia de Roraima)
  • O presidente Lula durante coletiva na Casai de Boa Vista (Foto: Felipe Medeiros/Amazônia Real)
  • Davi Kopenawa fala com o presidente Lula e Sonia Guajajara (Reprodução redes sociais)
  • Lula visita a Casai em Boa Vista e encontra os Yanomami (Foto Giovani Oliveira/SEMUC)
  • Sonia Guajajara e Joenia Wapichana com o presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert/PR)
  • Lula visita a Casai em Boa Vista e encontra os Yanomami (Foto Giovani Oliveira/SEMUC)

Deixe seu comentário

Continue in browser
To install tap Add to Home Screen
Add to Home Screen
Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros
Obtenha nosso aplicativo da web. Não vai ocupar espaço no seu telefone.
Install
See this post in...
Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros
Chrome
Add Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros to Home Screen
Close

For an optimized experience on mobile, add Davi Yanomami cobra e Lula diz: “nós vamos tirar” os garimpeiros shortcut to your mobile device's home screen

1) Press the share button on your browser's menu bar
2) Press 'Add to Home Screen'.
Esquerda  News Gostaríamos de mostrar notificações para as últimas notícias e atualizações.
Dismiss
Allow Notifications