Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Conheça o Molise, a região da Itália que "não existe"

Conheça o Molise, a região da Itália que “não existe”

O Molise é uma região bem pequena localizada no sudeste da Itália que está sempre listada como um dos lugares mais baratos para se viver neste país. Mas o Molise guarda uma particularidade intrigante: há uma fama de que este lugar simplesmente não existe.

Trata-se de uma piada que circula entre os italianos para tirar sarro do suposto desconhecimento coletivo sobre este local. Mas o fato é que a região guarda segredos e surpresas para quem chega até lá.

O que há no Molise?

O Molise é a segunda menor entre as regiões da Itália. (Fonte: Getty Images / Reprodução)

O Molise é a segunda menor das 20 regiões da Itália. Ela se localiza no centro-sul do país, a cerca de 1 hora e 30 minutos de Roma e Napoli, fazendo fronteira com as regiões de Lazio, Abruzzo, Puglia e Campania.

O lugar apresenta montanhas de clima ameno e praias de águas calmas, banhadas pelo mar Adriático. Não se trata de uma região quente: algumas das cidades molisanas costumam deter recordes de temperaturas baixas nas épocas mais frias do ano.

Tecnicamente, o Molise é a região mais jovem da Itália. Isto porque, até 1963, ela fazia parte de uma região chamada Abruzzo-Molise, juntamente, é claro, com o Abruzzo. Neste ano, houve a decisão de dividir a região, o que só ocorreu oficialmente a partir de 1970.

O local é cercado de sítios arqueológicos e atrações naturais impecáveis. A região também é ladeada pelos Apeninos, uma cordilheira que se estende por 1000 km ao longo da Itália central e costa leste.

Por que o Molise “não existe”?

(Fonte: GettyImages / Reprodução)
A piada que o Molise “não existe” ficou muito popular na Itália. (Fonte: Getty Images / Reprodução)

A ideia que o Molise não existe é, na verdade, uma espécie de “meme” que circula há bastante tempo. O jornalista Enzo Luongo, que escreveu o livro Il Molise Non Esiste, explicou à BBC: “vi essa piada pela primeira vez na internet há vários anos. As pessoas começaram a postar a hashtag #ilmolisenonesiste tirando sarro do pequeno tamanho da região e de nossa relativa obscuridade na Itália”.

Luongo conta que ficou impressionado ao constatar como a brincadeira se popularizou e começou a gerar várias reações. De repente, o suposto desconhecimento sobre o Molise virou uma espécie de curiosidade coletiva. Surgia a “conspiração Molise”, que levou, na Itália, à criação de livros, músicas, vídeos, peças teatrais e reportagens. Até pessoas famosas, como o comediante Beppe Grillo e o ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, citaram a frase.

A brincadeira ficou tão grande que apareceu até gente vendendo camisetas e canecas como a frase Molisn’t — lo non credo nell’esistenza del Molise (em tradução livre, “Molisn’t — eu não acredito na existência de Molise”). O mais engraçado é que tudo isso levou a um efeito interessante, que é o fato de o Molise passar a chamar cada vez mais a atração dos italianos e dos turistas.

As atrações do Molise

(Fonte: GettyImages / Reprodução)
A região do Molise guarda paisagens belíssimas e muito turismo histórico. (Fonte: Getty Images / Reprodução)

Quem se aventura a visitar o Molise se depara com um passeio com forte conotação histórica e atrações paradisíacas. A começar pelo turismo gastronômico: a região preza pelos ingredientes locais de alta qualidade, como vinho, azeite, laticínios, carnes curadas, cogumelos selvagens e trufas.

As praias são admiradas por grande parte dos visitantes, que curtem ver as pequenas cabanas de pesca que ficam expostas sobre as palafitas. Outra atração é a Rejecelle, a rua mais estreita da Itália, com apenas 34 cm de largura.

A região ainda é repleta de castelos, que remontam a tempos históricos de domínio lombardo e normando. Ou seja, para quem gosta de paisagens claramente antigas, trata-se de um passeio imperdível.

Outro local para se visitar são os tratturi, que são trilhas naturais delineadas por fazendeiros pastoris durante a rotação sazonal de pastoreio entre pastagens fixas de verão e de inverno. Historicamente, o Molise era a região que recebia bandos vindos de outras regiões montanhosas, criando esses espaços. Como esses fazendeiros tinham costumes específicos, eles os levaram para a região, dando nova cara à gastronomia, à economia e ao folclore.

Algumas pessoas costumam destacar que este é um dos locais mais preciosos da Itália, pois, em comparação a outras regiões mais turísticas, o Molise segue mais intocado. “O Molise é um dos últimos lugares autênticos da Itália. Na verdade, eu diria que é um lugar realmente atemporal. Infelizmente, o Estado nunca acreditou que poderíamos atrair turistas. Achavam que a única maneira de impulsionar nosso desenvolvimento seria por meio da indústria, então, construíram muitas fábricas aqui. Agora as fábricas fecharam e os jovens estão indo embora novamente”, explicou o político Simone Cretella, em reportagem à BBC.

Isso não significa que não haja vários movimentos para a valorização do local. Maria Laura Pace, que mora na cidade de Termoli, é uma das pessoas que luta pelo Molise ao lado de uma rede de empreendedores locais. “Queremos compartilhar nosso amor por nossa região. Temos montanhas e mar, aldeias antigas incríveis, festivais, comida deliciosa – tudo dentro de uma pequena área geográfica. Ao contrário da maioria das outras partes da Itália, aqui você ainda pode encontrar a vida como ela costumava ser, inalterada por séculos”, declarou à BBC. Sem dúvida, é uma visita imperdível para quem quer ver de perto uma Itália menos conhecida pelos turistas.

As informações apresentadas neste post foram reproduzidas do Site Mega Curioso e são de total responsabilidade do autor.
Ver post do Autor

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Postes Recentes

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Redes Sociais: