Chile elege esquerdista Boric à Presidência

Chile elege esquerdista Boric à Presidência

O candidato de esquerda Gabriel Boric, venceu as eleições presidenciais chilenas. Às 7h30 da noite, com 83,03% dos votos apurados, Boric tinha 3.727.792 votos (55,52%), enquanto o candidato de extrema direita José Antonio Kast obteve 2.994.565 votos (44,48%).

Durante o desfile do movimento estudantil de 2011 a 2013, Boric tornou-se uma figura pública nacional. Ele atuou como presidente do Sindicato de Estudantes da Universidade do Chile em 2012 e foi um dos líderes da onda de protestos que pedia o fim da divida do movimento estudantil e a  gratuita nas instituições de ensino, do fundamental ao superior.

Em 2013, disputou as eleições como candidato independente e foi eleito deputado pela primeira vez.

Em seu primeiro mandato, ele e Jackson ajudaram a fundar a Frente Amplio, reunindo vários pequenos partidos ligados a ex-dirigentes estudantis.

Em 2021, Frente Amplio aliou-se ao Partido Comunista (Valejo e Carriola) para formar a Aprovo Dignity Alliance. Após vencer as eleições preliminares em julho do ano passado, liderou a aliança e derrotou o comunista Daniel Jadue, da cidade de Recoleta Long , uma das cidades mais populosas da área metropolitana de San Diego.

Na eleição presidencial do Chile, Gabriel Bolic se baseou em comentários de “esperança” e defendeu o desejo de mudança, prometendo fortalecer o estado de bem-estar social do país.

“Representamos o processo de mudança e transformação, (mas certamente) na etapa necessária”, disse certa vez durante a campanha eleitoral, preocupando-se que sua eleição não significasse o início de um período de caos.

Boric tem tatuado em seu braço esquerdo: “um farol que ilumina uma ilha deserta” . Ele relaxa lendo, mas sua vida real é um ativista de esquerda. Foi em sua cidade natal, Punta Arenas (sul), ao longo do Estreito de Magalhães, que o político começou a sonhar com esse modelo de felicidade para seu país.

Deixe seu comentário