Brasil vai avançar na produção científica e tecnológica na área nuclear

Brasil vai avançar na produção científica e tecnológica na área nuclear
Ver no Portal Vermelho

Durante viagem oficial à Argentina, a Ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos anunciou que o Brasil vai avançar na construção do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) que garantirá a autonomia do país na produção de radioisótopos para uso na medicina e para apoiar pesquisas científicas na área nuclear.

A ministra brasileira esteve com o ministro argentino, Daniel Filmus, em Buenos Aires. O país tem parceria estratégia do Brasil no empreendimento.

Leia também: Brasil aprofunda cooperação em ciência e tecnologia com Argentina

Para 2023 e 2024, estão previstos investimentos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) para o reator, incluindo a contratação de empresa argentina para a elaboração do projeto detalhado da planta de processamento de radioisótopos.

Segundo a ministra, as relações bilaterais com a Argentina serão, a partir de agora, intensificadas, com a retomada de projetos que foram paralisados. “A agenda mais importante de cooperação científica na América Latina é com a Argentina. É uma agenda muito diversa, que vai desde as parcerias no Reator Multipropósito até a formação de especialistas no âmbito do Cabbio. Vamos avançar tanto com o Reator Multipropósito quanto o projeto SABIA-Mar, que vai apoiar o monitoramento na região”, explicou a ministra.

O projeto SABIA-Mar prevê a construção e operacionalização de dois satélites de sensoriamento remoto para monitoramento dos oceanos e zonas costeiras da região que compreende o Brasil e a Argentina.

Luciana Santos destacou o avanço da Plataforma Multimissão (PMM), que é a base para o satélite SABIA-Mar e atingiu o grau máximo de maturidade com o satélite Amazonia 1, que está operando em órbita, com sucesso, desde 2021.

Leia também: Projeto Futuras cientistas quer diminuir desigualdade nas carreiras científicas

Já o Centro Latino-Americano de Biotecnologia (Cabbio) foi criado em 2020 com base no centro binacional implantado em 1986. Atualmente, também conta com a participação de Uruguai e Colômbia. Ao longo de sua história, mais de 125 projetos foram apoiados e mais de 5,5 mil pesquisadores capacitados.

“O Cabbio é uma demonstração de que a cooperação científica pode impulsionar e consolidar a integração regional”, ressaltou a ministra Luciana Santos.

Abertura da Celac

Foto: Ricardo Stuckert/PR

A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil integra a delegação ministerial que acompanha o presidente Lula na viagem oficial à Argentina. Junto ao presidente, Luciana Santos participou da abertura da Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) nesta terça-feira (24), em Buenos Aires. A participação da delegação brasileira marca o retorno do país ao fórum multilateral após três anos de afastamento.

“O retorno do Brasil à Celac traduz a importância da integração regional para o governo do presidente Lula. É uma visão de mundo, e é também um compromisso ampliar o diálogo e a cooperação com os 33 países da América Latina e do Caribe em temas como ciência, combate à fome, energia, meio ambiente e transformação digital”, ressaltou a ministra após o evento.

Nesta quarta-feira (25), o presidente e a comitiva brasileira seguem para o Uruguai. Lula terá encontro com o presidente do país, Lacalle Pou, em Montevidéu.

Com informações Ascom MCTI

Deixe seu comentário

Esquerda  News Gostaríamos de mostrar notificações para as últimas notícias e atualizações.
Dismiss
Allow Notifications