7 de Setembro 2021 - Belo Horizonte - Brazil

O destruidor do futuro

O destruidor do futuro

Embora estes sejam aspectos relacionados de sua personalidade e comportamento e não devam ser minimizados, diz-se que o Presidente Jair Bolsonaro é um homem doente mental, louco, incoerente, astuto, ignorante, violento, fascista e racial Extinção é incorreta, seu governo é incompetente e sem rumo, e não tem projeto brasileiro.

Bolsonaro é tudo isso e pior do que tudo isso. Seu governo tem um projeto que visa destruir o futuro do Brasil.

Os projetos do governo Bolsonaro são caracterizados pela destruição. Ele declarou: “Não estou aqui para construir. Estou aqui para destruir.” Jair Bolsonaro, 2019.

O projeto econômico de Bolsonaro é um projeto hiper-neoliberal com uma premissa simples: todos os problemas econômicos podem ser resolvidos por empresas privadas; as empresas privadas ainda não resolveram esses problemas devido às regulamentações e práticas comerciais desastrosas do país.

A política econômica de Bolsonaro busca ansiosamente afrouxar o controle da atividade econômica; privatizar empresas estatais; vender ativos estatais; permitir que as empresas exerçam autodisciplina; e reduzir os direitos dos trabalhadores.

No campo externo, as medidas econômicas visam abrir amplamente a economia ao capital estrangeiro e às importações; “bloquear” essa política econômica neoliberal por meio da adesão do Brasil à OCDE e cumprir suas obrigações “normais”; negociar acordos de livre comércio e renunciar ao uso. Possibilidade de tarifas de importação, transformando o Mercado Comum do Sul em uma área de livre comércio

Jair Bolsonaro trabalhou para minar a política externa do Brasil em sua base, removendo o Brasil da CELAC; retirando-se da Unasul para o Brasil; participou da criação do Prosul junto com outros governos de direita; nomeando um general para se tornar o Comandante IV dos EUA. do Ministério das Relações Exteriores; permitiu o treinamento de militares americanos no Brasil; participou do exercício do golpe venezuelano; anunciou a transferência da embaixada de Israel para Jerusalém, o que violou decisão do Conselho de Segurança da ONU.

Se em algum momento antes de outubro de 2022, Bolsonaro determinar que não tem chance de ganhar as eleições, ele tentará um golpe de Estado, sua única chance de escapar dos inúmeros processos que terá de enfrentar no tribunal pela enormidade e diversidade de sua Crimes contra Brasileiros e Brasil.

Deixe uma resposta